Archive for Outubro, 2006

Misty Fog

Outubro 31, 2006

00851168javier-echezarreta.jpg
Foto: Javier Echezarreta – Baía Concha/San Sebastian (Espanha)

Esta noite, depois de sairmos do Estúdio, percebemos que qualquer coisa aconteceu em redor: depois das noites mornas e de uma semana de sol generoso, há um estranho nevoeiro que entretanto avançou e, num ápice, foi tomando conta de tudo. Sobretudo do fim da estrada.

«Por acaso, não me importa nada, o nevoeiro. Por acaso até gosto de nevoeiro. Fascina-me», diz Red Bull. Porque será, pergunto-me eu, porque será?!

Script # 25 | Sobre a reeleição ou o primeiro dia do último mandato

Outubro 30, 2006

00852158fernando-bizerra-jr.jpg
Foto: Fernando Bizerra Jr.

Muito bem!… Acreditemos que sim, então: celebremos a vitória de Lula. Independentemente das razões políticas. Em nome daquela antiga conviccção: também num final de Outubro… quando estavamos ainda e só em 2002… antes, (ainda antes) do princípio de todas as derrocadas… Sabes, agrada-me pensar que enquanto o reinado de Lula respirar, há uma qualquer esperança que ainda reluz. Ainda que ténue. Mesmo que enfraquecida. Apesar de tudo. Apesar de todos os factos apontarem o contrário. Ainda que sem aquela outra euforia solta pelas ruas nordestinas, sem o autocarro vermelho garrido e exuberante de então. Seja, vamos lá, sim! Hoje: a homenagem, o copo erguido, as “loiras geladas”. Seja, então: celebremos, mais que não seja, a sobrevivência do rei que pode estar já quase morto, mas ainda não foi desta que foi deposto!

Notícia | Puramente factual

Outubro 29, 2006

00852177carlos-humberto.jpgO Presidente Lula da Silva foi reeleito no domingo com 60,83% dos votos válidos, o equivalente a 58,294 milhões de votos, segundo os resultados finais divulgados hoje pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Foi uma vitória esmagadora de Lula da Silva, do PT, que registou 20 milhões de votos a mais do que o seu adversário, o social-democrata Geraldo Alckmin.

O candidato do PSDB obteve 39,17% dos votos válidos, que excluem os nulos e brancos, o correspondente a 37,543 milhões de votos.

Geraldo Alckmin perdeu 2,4 milhões de votos entre a primeira e a segunda volta das eleições, enquanto o Presidente Lula ganhou 11,6 milhões de votos.

O actual Presidente venceu em 19 Estados e no Distrito Federal, e Alckmin em apenas sete Estados.

Na segunda volta destas eleições, o candidato do PT obteve 5,5 milhões de votos a mais do que na segunda volta das presidenciais de 2002, quando conquistou 52,7 milhões de votos e venceu o então candidato do PSDB José Serra.

O número de votos brancos nas eleições de domingo foi de 1,351 milhões (1,32 por cento) e o de nulos, 4,808 milhões (4,71 por cento).

Nas eleições presidenciais de domingo, estavam inscritos nos cadernos eleitorais 125.913.479 eleitores, mas houve uma abstenção de 23,914 milhões, o correspondente a 18,99 por cento, média considerada normal pelo TSE.

grata, ao pessoal da Folha, à turma da Globo, ao Carlos Humberto (foto) e a todos os amigos de Brasília.

Aos meus amigos da Terra Brasilis

Outubro 29, 2006

Chico Buarque“Tanto Mar”

Agradeço ao autor do video a gentileza de me permitir guardar um dos instantes mais intensos desta noite, no Casino Espinho, dentro da garrafa que agora lanço ao Atlântico, para que o coração me desague mais rente à fonte de todas as saudades.

Viagens | Nem só os plátanos se vêem daqui

Outubro 27, 2006

22.jpgAinda a pensar na Nicarágua… lembrei-me da Isla de Ometepee e veio-me à cabeça a imagem do barco a sulcar a direito, rumo à vertigem verde dos plátanos, como se a água fosse uma espécie de estrada que nos impede de  ficar para trás, uma espécie de esteira estendida adiante, a lembrar que a aproximação ao belo é a única via possível e que o caminho se faz andando: para a frente, sempre para a frente, porque há-de ser lá que fica o lugar onde está tudo o que ainda pode ser melhor. Agora, súbitamente, até isso me parece um pouco mais distante e invertido. Mas deve ser só esta minha incapacidade de reconhecer a mesma face das  coisas quando as olho pelo seu ângulo mais hediondo. 

Mulher | In Extremis

Outubro 27, 2006

nicaragua2.jpg
Foto: Associated Press

Horrorizada, fico a saber através do La Jornada e do Nicaragua Hoy  que o Congresso da Nicarágua aprovou uma lei que proíbe todo e qualquer tipo de aborto, incluindo o terapêutico.

Por mais de um século (desde 1893) o aborto foi permitido na Nicarágua, se três ou mais médicos determinassem que a vida da mãe corria risco ou no caso de a gravidez resultar de violência sexual ou incesto. Ontem (26 de Outubro de 2006), os deputados aprovaram a anulação do artigo 165 do Código Penal, com 59 votos a favor e nenhum contra. Sete deputados abstiveram-se e outros 29 não compareceram à sessão, convém dizer. Como talvez seja conveniente lembrar que 85% da população/eleitores é católica e que até o ex-líder do partido sandinista, Daniel Ortega, se tornou fervoroso opositor do aborto quando, enfim, conseguiu reconciliar-se com a Igreja.

Contra todos os alertas das mais diversas associações médicas e da própria Organização Mundial de Saúde, o presidente Enrique Bolaños – igualmente defensor confesso da nova lei –  subscreve esta decisão do Congresso. Os deputados vão agora passar à fase 2: decidir qual a pena a aplicar a quem praticar o delito, já que os 30 anos de prisão propostos não recolheram unânimidade suficiente para serem aprovados. A ver vamos o que isto significa: se a pena não foi consensual por ser considerada exagerada, ou se por ser avaliada como demasiado branda.

E, das cavernas do meu horror, fico eu a pensar: oxalá não se siga daqui o decretar da prisão perpétua. Sim, porque na prática,  com a proibição do aborto terapêutico, a condenação à pena de morte, essa já foi sentenciada. Pelo menos às 400 mulheres que, a cada ano, sofrem de gravidez ectópica na Nicarágua!… Para nem sequer lembrar as outras. Todas as outras!… que são tantas.

Enquanto escovo os dentes…

Outubro 27, 2006

moleskine_1917.gifFinalmente!… Em duas semanas, um dia de sol. Infelizmente não vou poder sair da cidade, este fim-de-semana: o carro voltou em tempo da oficina, mas os compromissos não param de surgir na minha agenda, como se fossem cogumelos… não exactamente todos “envenenados”, é certo. Há que admitir que grande parte se confunde com puro lazer, mas mesmo assim!… Preferia estar livre e poder sair de Lisboa. Não sei dizer o que seja, mas alguma coisa aqui me cansa terrivelmente e me enche de um tédio quase deprimente. É como se nada do que surge associado a este espaço me conseguisse cativar o suficiente, como se nada nem ninguém constituissem, por si só, um motivo válido e forte para me fazer valer a permanência dos dias e das noites por estas paragens.

Lembro-me que Red Bull tem guardada a agenda que esqueci no carro, depois da viagem de trabalho ao Norte. Faz-me falta a agenda, mas adio o telefonema para combinar resgatá-la de volta. Tenho pensado nessa falta de vontade imensa que me invade, à simples ideia de falar, ver ou estar com Red Bull. Não elaboro demasiado, confesso. Fico-me pela estranha sensação de “desprazer” que hoje em dia que atinge só de pensar que nos vamos encontrar. É tudo demasiado frio e seco e isso além de desagradável, torna-se sempre excessivamente incómodo para o meu gosto. Já sei que vai forçar palavras que já não sinto vontade de lhe dizer, que depois há-de ficar aquele silêncio sem nenhum interesse que lhe provocará um certo fel ressabiado nos gestos e nas ‘alfinetadas’. Já sei que vai querer saber mais do que deve e que não vai gostar de se dar conta disso. Já sei que vai socorrer-se de mais ligeireza e indiferença para sobreviver à surpresa e à contrariedade que a realidade lhe causa. E depois hei-de ficar eu a pensar como tudo pode mudar assim, como posso eu saturar-me, hoje em dia, tão depressa na sua presença, e o sentimento há-de servir para me por mais um bocadinho em causa o passado e as verdades adquiridas e absolutas, aquelas que antigamente nem por um minuto me passava pela cabeça questionar (nem nos momentos mais tristes) e que agora, por serem tão contraditórias com o que ficou no presente, me parecem absurdas e impossíveis, um tremendo equívoco longínquo, vindo dos cafundós da memória, um muito bem disfarçado logro, uma mentira contada de forma muito convincente, mas totalmente sem sentido, se eu tivesse parado por um minuto, nessa época, para observar com mais detalhe.

Sinceramente (gostaria muito de dizer o contrário, sobretudo tratando-se de quem foi), acontece porém que, nos dias quie correm, não gosto de ter notícias nem voltar a ter que me encontrar com Red Bull. Passaria muito bem sem ver com os meus próprios olhos até onde alastrou o rasto de destruição do que em tempos foi irrepreensivelmente perfeito!… Passaria lindamente sem ter que presenciar o quanto tudo se escaqueirou em nada e em como hoje não tenho sequer o que dizer para manter uma conversa, a não ser falar do tempo, do trabalho e dos outros, com a agravante que, até mesmo sobre essas coisas, me fica sempre o desconforto de achar que nem sobre isso deveria abrir a boca porque, bem vistas as coisas, Red Bull nem tem nada a ver com isso! E perceber tudo isto é tão triste, tão deprimente, tão decadente e embaraçoso, que (mesmo que eu não queira) me causa um constrangimento suficiente para me estragar o dia e tirar a boa disposição!

Já pensei mandar um SMS e pedir que quando lhe der jeito, deixe na caixa do correio, mas sei que ia dar pinotes de fúria. Ia considerar uma ofensa: a caixa de correio e o SMS. Podia pedir que entregasse a Ally McBeal, que até me daria mais jeito: quando tomassemos café trazia-a logo comigo… Mas por certo ficaria uma onça só com a ideia de me ser mais fácil ter tempo para me encontrar com Ally McBeal do que consigo… Também podia ligar, em vez do SMS… mas a simples ideia daqueles telefonemas inenarráveis de tão non-sense, ainda me parecem um calvário pior do que um encontro rápido de 5 minutos, tipo “toma lá, dá cá”, “tudo bem?!”, “tudo! E contigo?”, “também!”, “pronto, olha desculpa lá mas tenho imensa pressa, já estou atrasada!”, “de nada, de nada! obrigada! Desculpa a chatice!”…. Estou sem saber o que fazer, é o que é! E “o que é” é triste por ser assim e não de outro modo qualquer, essa é que é a verdade. Porque é que eu me fui esquecer da minha agenda?? Porquê?! Porquê?! Estou capaz de me fustigar a mim própria por ter deixado que ficasse um pretexto pendurado, a pedir mais um encontro, a servir de desculpa para o indesejável, a pairar como pretexto para o que já não é tolerável que aconteça.

Mais vale recuperar a agenda de uma vez e acabar com isto. De uma forma ou de outra sei que não vou estar inteiramente tranquila enquanto a situação me andar a sobrevoar o desconforto. E depois é fim de semana e há que estar mentalmente disponível para aproveitar os dias soalheiros que o boletim metereológico promete para os próximos 3 dias!

… ou, então, esqueço de vez a agenda, aproveito a tarde livre e este sol maravilhoso, vou até ao Chiado e compro outra! Novinha em folha!… Com muito espaço para voltar a preencher com a confusão dos dias… Sim, o embróglio das coisas para fazer e dos compromissos! Ai… ! E lá me lembro eu da super-lotação das horas, pelo menos até ao meio do mês que vem!… E lembro-me das coisas que se sobrepõem, da dor de cabeça que vai ser chegar para “as encomendas todas” e da disponibilidade que isso me rouba, e da impossibilidade de sair da cidade como me apetece e estava habituada a fazer, da obrigatoriedade de ficar de pés e mãos amarrados, sem poder fazer a mala e sair daqui para fora como tanto me apetece!!… Tanto!… Tanto!…

P.S. – Sejamos optimistas, vá!… seria bem mais grave se em vez daquela agenda fosse a minha moleskine!!…

Hoje vi Deus e, melhor do que isso, conversei com ele!…

Outubro 27, 2006

chicog.jpg

Mulher | Abracadabra!… de vítima a culpada

Outubro 26, 2006

  Se deixarmos um pedaço de carne descoberta na rua, no jardim, ou no parque, e os gatos vierem e comerem… de quem é a culpa, dos gatos ou da carne descoberta?
O problema é a carne descoberta. Se ela (a mulher) estivesse na sua sala, na sua casa, no seu hijab, nada teria acontecido.

Um discurso do xeque Taj el-Din al-Hilali, principal líder muçulmano na Austrália, feito no mês passado e agora na imprensa, está a incendiar a opinião pública e já mereceu uma reacção de repulsa até do primeiro-ministro do país, John Howard, que qualificou os comentários de “pavorosos”. «A idéia de que mulheres são culpadas por estupros é ridícula», afirmou , de acordo com o jornal The Australian.

Tem na verdade razão Matt Price, quando escreve no seu blog:

aspas_azuis215.jpg We should stop focusing on females wearing veils and concentrate on the oppressive, archaic aspects of their religion that put unfeasible, unacceptable pressure on Islamic women and, by extension, present an excuse for disgraceful, abusive, oppressive behaviour and sexual abuse.

 

Ainda sobre este assunto:

Votação aberta para os ‘The Bobs 2006’

Outubro 25, 2006

O The Bobs – The Best of the Blogs, concedido pela alemã Deutsche Welle, tem a habitual votação aberta ao público até dia 11 de novembro. Entre os 10 finalistas que disputam o troféu de Melhor Blog em Português estão:

Outros concorrentes: Catatau, Apocalipse Motorizado, Pensar Enlouquece Pense Nisso, Blog do Pedro Alexandre Sanches e The Allan Sieber Talks to Himself Show.

Google Earth James Bond

Outubro 25, 2006

Para o lançamento da colecção The James Bond Ultimate Edition DVD, a MGM Home Entertainment criou uma versão do Google Earth que integra detalhes dos filmes da saga. Em cada locação apontada no mapa, há informaçoes e curiosidades sobre as aventuras de 007. O Google Earth James Bond inclui ainda uma visita virtual ao Pinewood Studios, onde a maioria das cenas dos filmes do agente secreto são rodadas.
Com a devida vénia ao Blue Bus.

Shopping | Para todos os stressados cairem na real

Outubro 25, 2006

stress.gifPara quem acha que está stressado, mas nao sabe o quanto, existe agora o Stress-o-Meter!
O aparelho ‘capta’ o seu estado a partir das pontas dos dedos e, em um mostrador tipo roda da fortuna, mostra como é que se está a sentir:  se está na hora de ir descansar ou se simplesmente está à beira de um ataque de nervos.
Se é serio? Custa o equivalente a U$ 21!

Você, que cuida tão bem de mim

Outubro 24, 2006

6_400.jpg Foto: Sigourney Weaver

Notícias | Precisamos de mais espaço ou de mais juízo?

Outubro 24, 2006

Leio aqui que, quando chegarmos ao ano de calendário de 2050, vão ser precisos dois planetas para assegurar a sobrevivência!
É que, segundo o último relatório da WWF, cada pessoa consome mais 25% de recursos naturais do que a capacidade regenerativa da Terra. E como se não bastasse, leio também que é quase certo que o aquecimento da Terra vai exacerbar as disputas pelos acessos à água e aos recursos alimentares e levar ao desaparecimento de alguns países. A advertência vem da ministra dos Negócios Estrangeiros britânica, Margaret Beckett, em entrevista hoje ao jornal Financial Times.

Esperemos que mantenha a preocupação na ordem do dia quando, em 2007, chegar a sua vez de presidir à União Europeia e ao G8!…

Media | Liberdade de Imprensa 2006

Outubro 24, 2006

rsf400.jpg

Segundo a organização internacional Repórteres Sem Fronteiras, Portugal figura em 10º lugar no ranking sobre liberdade de imprensa, entre um total de 168 países, à frente de países como a Espanha (41º) e os Estados Unidos (53º).  

O primeiro lugar da lista é ocupado pela Finlândia e o último pela Coreia do Norte. No que se refere aos países de língua portuguesa, Cabo Verde e Moçambique surgem ambos em 45º lugar, a Guiné-Bissau em 62º, o Brasil em 75º, Timor-Leste em 82º e Angola em 91º.

Segundo a página da organização na Internet, há actualmente 100 jornalistas detidos em vários países, «por terem simplesmente querido exercer a sua profissão».